segunda-feira, 9 de julho de 2007

Mostra Che: Caminhos e histórias de Ernesto Che Guevara



video


1967- Há 40 anos o guerreiro Che deixava de viver. Outubro de 2007, o CUCA - Votu abre a "Mostra Che: Caminhos e histórias de Ernesto Che Guevara" acompanhando assim, a programação do CUCA Rio, que estréia no dia 6 de outubro o espetáculo 'As últimas horas de vida de Che Guevara'.

A mostra ficará aberta para visitação no pátio do campus centro da Unifev de 8 a 11 de outubro, das 8 as 23 horas, e no campus sul de 15 a 19 do mesmo mês.A mostra propõe a partir do olhar de Daniela Violin, trilhar com fotos e fundamentação histórica os caminhos percorridos por Ernesto 'Che' Guevara. Daniela Violin é amante e disseminadora da ideologia deixada por CHE.

Ernesto Che Guevara de la Serna nasceu em 14 de junho de 1928. O mais velho entre cinco filhos de uma família progressista de classe média.

Em 1951, ainda não tinha terminado a formatura em medicina, iniciou, com Alberto Granado, uma grande viagem pelo continente na velha moto do companheiro conhecida pelo nome de 'La Poderosa'. Nessa viagem, Guevara começa a ver a América Latina como uma única entidade econômica e cultural. Visita minas de cobre, povoações indígenas e leprosários, interagindo com a população, especialmente os mais humildes. De volta à Argentina em 1953 acaba os estudos de Medicina e passa a se dedicar à política. No mesmo ano, viajou à Guatemala e testemunhou a derrubada do governo democrático de Jacobo Arbenz Guzmán por um golpe militar apoiado pela CIA (agência americana de espionagem e contra-informação).

Mudou-se para o México e conheceu os irmãos Castro - Fidel e Raúl. Juntou -se , então, ao grupo espedicionário que planejava a derrubada do ditador cubano Fungencio Baptista. Em 25 de novembro de 1956, Che e os outro 82 revolucuinários cubanos deixaram o México, a bordo do iate Granma, para aportar na Província do Oriente, Cuba, alguns dias depois. Rapidamente detectados pelo exército de Batista, foram massacrados: os poucos sobreviventes, Che entre eles, refugiaram-se em Sierra Maestra. Nascia o movimento guerrilheiro que, em 2 de janeiro de 1959, expulsaria de Havana o ditador e estabelecia a primeira república socialista da América Latina

Após a revolução, foi chefe do departamento industrial do Instituto Naciona de Cuba e ministro da Indústria.

Em abril de 1965, abandonou todos os cargos públicos. Foi lutar no Congo, integrado às forças de Petrice Lumumba. No outono de 1966, ingressou na Bolívia, clandestino, para organizar a luta revolucionária. Enstabeleceu-se em Santa Cruz.

Em 8 de outubto de 1967, seu grupo foi cercado e praticamente aniquilado por um destacamento especial do exército boliviano. Che foi preso, ferido, e fuzilado algumas horas depois.

Che Guevara conta seu trajeto pela América do Sul, da Argentina a Venezuela, em companhia de seu amigo Alberto Granado, a bordo de uma motocicleta, a Poderosa, através de um diário. Ao fim da viagem Che escreve: " O personagem que escreveu essas notas morreu ao pisar de novo em terra argentina. Aquele que as organiza e lhes dá polimento, eu, nao sou eu; pelo menos não sou o mesmo eu interior. Esse vagar sem rumo pela nossa maiúscula América me transformou mais do que pude crer".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua mensagem